Cilioretinal artery branch avulsion secondary to surgical embolectomy: Management and outcome. Case report Avulsão do ramo da artéria ciliorretiniana secundária à embolectomia cirúrgica: Manejo e desfecho. Relato de caso Academic Article in Scopus uri icon

Abstract

  • © 2018 Conselho Brasileiro De Oftalmologia. Relatamos a abordagem transoperatória e o desfecho em curto prazo de um paciente que sofreu uma avulsão traumática do ramo da artéria ciliorretiniana durante o tratamento cirúrgico de uma oclusão do ramo arterial ciliorretiniano com embolectomia intraocular. O paciente foi submetido a uma vitrectomia pars plana com embolectomia in situ. A artéria bloqueada foi incisada com uma tesoura vertical de 25 Ga e a manipulação do êmbolo foi feita com pinça microcirúrgica. Durante a extração do êmbolo, a artéria ciliorretiniana ocluída e seu ramo foram inadvertidamente avulsionados e rasgados com sangramento intenso subsequente. Laser e endodiatermia foram utilizados para hemostasia aguda. As manobras criaram uma anastomose retinocoroidiana não intencional. Melhora do campo visual foi observada três meses após a cirurgia. No caso de uma embolectomia cirúrgica complicada com a avulsão da artéria, a formação de uma anastomose retinocoroidiana e reperfusão da artéria ocluída pode ocorrer juntamente com a melhora do campo visual em alguns casos. © 2018 Conselho Brasileiro De Oftalmologia. We report the trans-operative approach and short-term outcome for a patient who suffered a traumatic avulsion of the cilioretinal artery branch during the surgical management of a cilioretinal arterial branch occlusion with intraocular embolectomy. The patient underwent a pars plana vitrectomy with in situ embolectomy. The blocked artery was incised using 25 Ga vertical scissors, and embolus manipulation was performed using microsurgical forceps. During embolus extraction, the occluded cilioretinal artery and its branch were inadvertently avulsed and torn with subsequent intense bleeding. Laser and endodiathermy were used for acute hemostasis. The maneuvers created an unintended retinochoroidal anastomosis. Visual-field improvement was noted three months after the surgery. In the event of a complicated surgical embolectomy with the avulsion of the artery, the formation of a retinochoroidal anastomosis and reperfusion of the occluded artery may occur along with the improvement of the visual field in some cases.

Publication date

  • September 1, 2018